Querido John

Mas enfim do que realmente trata-se o filme e o livroQuerido John”? Bem, pelo que percebi são abordados vários assuntos ao mesmo tempo. Assuntos esses, que juntos são realidade, embora o enredo seja fictício. É na verdade, uma lição. A história é estimulante e sugere que prestemos mais atenção a quem está ao nosso lado, às nossas decisões, ao tempo, as pequenas coisas, aos momentos em que estamos com quem amamos, entre tantos outros fatos, descobertos a partir do olhar de cada espectador.
O filme, adaptado do livro homônimo escrito por Nicholas Sparks, no ano de 2010, foi protagonizado pelo ator Channing Tatum e pela atriz Amanda Seyfried, que interpretam John Tyree e Savannah Curtis respectivamente, expõe a narrativa de forma fiel ao livro. O roteiro foi bem ajustado, de forma que revela as partes mais consideráveis sobre a trama.  Ambos são narrados pelo protagonista: John. Sendo que cada um deles coloca em evidência seu relacionamento com pessoas diferentes. As mais importantes de sua vida: seu pai, o senhor Tyree, no livro e seu amor, Savannah, no filme.
As histórias são bastante parecidas, mas, claro, apresentam diferenças, ainda que bem sutis. O filme é um encanto. Uma verdadeira história de amor e faz as pessoas se identificarem com algo já vivido.  Mostra assuntos reais e dramáticos, de forma simplificada, mas ainda sim, emocionante, como autismo, o exercito americano, o ataque terrorista de onze de setembro de 2001, esse que muda de forma definitiva a vida de todos. Primeiro por ter que expor de forma breve a intensa relação de John e Savannah, mesmo com a distância, e pelo fato que a partir daí, começa o interesse do protagonista por seu pai.
Há também um final surpreendente. Inspiração para aqueles que como eu, são eternamente devaneadores. Enfim, poético. Pra que parte mais apaixonante do que essa aqui:

 

 

Recomendo que as pessoas leiam e só depois assistam. Seria a ordem mais óbvia. Pois quem assiste e lê, espera outra história. O livro, ainda que idealista, permanece com os pés no chão. E não gira em torno do romance, ainda que este seja importante. Concentra-se no amadurecimento do protagonista.
De bom filho ao mais revoltado. John cresce sentindo a falta de alguém. Sua mãe? Pessoa essa que ele nunca ouviu falar? Não. Ele sente falta de alguém para conversar, para compartilhar a sua vida. Seu pai, só falava se fosse necessário e basicamente fazia de conta que escutava tudo o que o filho contava. Fazia apenas pequenos gestos com a cabeça. Todo o seu assunto resumia-se a moedas. Que filho ficaria satisfeito com isso? Então, John encontra quem procurava, e com a ajuda de Savannah, consegue se reaproximar de seu pai e descobre que mesmo depois da sua rejeição, seu pai o amava. E este sentimento era recíproco.
Com o passar dos anos, John o admirava ainda mais. É lindo quando seu pai adoece e ele escreve uma carta e a lê no hospital. Essa não deixa de ser uma outra história de amor. A história de amor entre pai e filho, que deveria ser assistida por todos, para que sejam revistos e valorizados os relacionamentos com nossos pais.

 

Decidida. Sonhadora. Ingênua. Mas acima de tudo, Marianna Mendes. Uma criança velha, que apesar de viver buscando, ainda não sabe o que procura.

'2 Comentários to “Querido John”'
  1. Mi hermano me recomendó este blog y estaba en lo cierto. Este sitio realmente me alegró el día. No te puedes imaginar cuánto tiempo había buscado este tipo de información! Gracias!

  2. CARLA disse:

    MUITO INTERESSANTE AS POSTAGENS,LI E RECOMENDO,TODOS DEVERIAM TER O HÁBITO DE LER PARA O ENRIQUECIMENTO CULTURAL DE CADA INDIVIDUO,PARABÉNS JENNIFER E SUAS COLABORADORAS!!

Deixe um comentário

Subindo no Telhado - Este blog pertence à Jeniffer Santos e está publicado sob uma Licença Creative Commons.
  • RSS
  • Facebook
  • Google+
  • YouTube